Você está aqui: Página Inicial > Contents > Menu > Perfil do Egresso

Perfil do Egresso

por David publicado 20/09/2016 12h49, última modificação 06/03/2017 23h12

O arquivista é um profissional de informação, com formação para desenvolver atividades relacionadas a gestão de documentos de arquivos, gerenciamento, conservação, preservação e disseminação da informação contida nos documentos administrativos, artísticos, históricos e culturais elaborados por pessoas físicas e instituições jurídicas no desenvolvimento de suas atividades administrativas intelectuais artística e histórico-cultural, bem como pela preservação do patrimônio documental, de pessoas e instituições. Nesse sentido, ele deve ter:

 

- Aptidão para criar, desenvolver e utilizar técnicas de coleta, tratamento, recuperação e disseminação  da informação arquivística;

- Conhecimento para gerenciar unidades de arquivos, recursos, serviços e sistemas de documentação e informação;

- Conhecer, utilizar e desenvolver tecnologias de informação e de comunicação, visando às atividades, produtos e serviços da área arquivística;

- Elaborar políticas de preservação e dominar  técnicas de conservação e restauro do patrimônio documental de pessoas e instituições;

- Desenvolver atividades autônomas (orientar, assessorar, prestar consultoria, realizar perícias e assinar laudos técnicos e pareceres);

- Criar, desenvolver e utilizar técnicas de coleta, tratamento, recuperação e disseminação da informação.

- Desenvolver ações pedagógicas e de pesquisa;

 

Campo de Atuação

 

O arquivista é um profissional qualificado para gerir os processos documentais, num campo de atuação que atendem as demandas administrativas e técnico-científicas da atualidade. 

De acordo com Rosseau, Couture (1998, p.242), “ [...]o arquivista não é um especialista de todos os domínios, mas tem a responsabilidade de gerir arquivos que se apresentam sob diversas formas, em diferentes suportes e cujos conteúdos são bastantes variados[...].”

O Arquivista delineia-se como profissional capaz de atuar em setores (públicos ou privados) da sociedade em que haja demanda de gerenciamento de sistemas de informação arquivística, sejam eles administrativos ou históricos, particulares ou de grupos empresariais, industrias, e em todas as esferas públicas governamentais. Necessário se faz dominar as novas tecnologias aplicadas ao registro e recuperação da informação arquivística, bem como a capacidade de criar e inovar para atender às novas demandas da sociedade do próximo século.

Esse profissional, ao entrar no mercado, estará beneficiado por uma profissão, já regulamentada, poderá atuar nas instituições privadas  e em  órgãos públicos, uma vez que existe premência por parte de Estados e Municípios de modernizar seus arquivos. Além disso, estará habilitado para trabalhar em uma diversidade de locais que necessitam de um profissional capacitado em Arquivologia: arquivos dos poderes públicos (executivo, legislativo e judiciário), arquivos empresariais, arquivos eclesiásticos, escolares, médicos, além, logicamente, das instituições consagradas à documentação: bibliotecas, arquivos públicos estaduais e municipais, centros de documentação, museu, dentre outras instituições. Enfim, atuarão em todas essas instituições, proprietárias de um valioso patrimônio documental que, uma vez organizado e norteado pelo principio do respeito aos "fundos" (proveniência), permitirá um melhor conhecimento da sociedade regional e brasileira com informações relevantes em termos econômicos, históricos, sociológicos e antropológicos.